À procura da definição estadual de alfabetização

Mato Atento, modalidade investigativa estatal.

Ex Mpog parece nome DE DITADOR coreano. Ex Mpog, da Verdadeira Coreia, Coreia Vencedora, Coreia Democrática, Grande Coreia, Coreia Maior.

Na verdade é apenas Reia. Porque Co- é prefixo de dois. Umreia, Co-Reia do Sul e Co-Reia do Norte (antes do acordo ortográfico). Quando a parte rebelde (sul) se render, a Suprema Reia/Umreia/Unireia vai florescer.

Como que faz o som do R em Reia?

Fazendo esta cara.

A cara ajuda a acertar o ponto articulatório. Eis o que eu tava reparando. Vou cortar o cabelinho igual. Usar sobretudo preto e dar tchauzinho de forma fofa para o povo.

Boareia
Mareia

Fizeram homenagem a esta última num modelo de carro no Vrasil.

Outra coisa que me deixa intrigada em matéria de relações internacionais é o Timor-Leste (e a Shakira também). O outro Timor não existe. Nem eventuais Timores de outros pontos cardeais fictícios: Timor-Norte, Timor-Central, Timor-Sul, Timor-Oeste.

É tipo Mato Grosso do Norte. Também não vem de um desdobramento do Grande Timor. Já nasceu Leste. Ezatamentchy. The more you know.

A diferença do Timor e do Mato Grosso é que o do Sul é desdobramento do Grande Mato Grosso. Mas o que intriga no caso do Mato Grosso é que ele também não tem sua contraparte: Mato Fino; Mato Baixo, Mato Educado, Mato Neutro, Mato Roçado. Nem mesmo Mato Delgado ou Apenas Mato. Tem que ficar qualificando o Mato. Quem sabe falarmos de outra coisa. Morro Grosso, por exemplo, sequer existe para contrapor.

Mais uma coisa intrigante: a Antiga Zelândia. Não é um país. Nem a URSS. A Zelândia seria algum tipo de território natural dos Zés? Nem a África. Porque será que os soviéticos quiseram usar o nome República? Grande Pátria. Mátria. Mãe Rússia e Agregadinhos.

Tava lendo sobre o “choque de civilizações” que comentamos anteriormente neste nosso canal (se não comentamos, comentaremos agora). O cara inventou um sistema de civilizações cheio de preconceitos como premissas e diz que haverá guerras baseadas nesse sistema e não em interesses puramente econômicos, como se verificou mais tarde de maneira contundente. Segundo esse cara, Rússia seria uma “civilização ortodoxa” (sim, a figura acha que vai ter guerra santa entre civilizações de cunho religioso). Nós seríamos uma sub civilização, latinoamericana, com tendências a se unir com a civilização ocidental, basicamente cristã (nisso ele estava certo, o cristianismo tenderia a massacrar outras expressões religiosas por aqui).

O resultado desse enorme esforço intelectual, na minha opinião, é mais fraco que aqueles joguinhos de tabuleiro que dividem o mapa da Terra aleatoriamente. Irlanda e Irlanda do Norte também fazem parte dos cases registros de fracasso das nações da Terra em matéria de desnecessidade existencial de separação.

– Educação é bom demais. Eu particularmente sou mal educada.

– Você e dois estados brasileiros que são Grossos. Falta de educação isso.

Eu acho que o debate é muito mais profundo porque a gente não sabe nem se o mato é grosso, grossa ou grosse. Ou seja, além de xingar, assumimos o gênero. Estade de Mate Grosse. Pois quem falou que estade tem gênero?

Estado não tem gênero, Estado só tem nojo de pobre e pra ter nojo de pobre tanto faz “o” “a” ou “e”.

Imagino que seja por isso que os estadunidos se acham. Eles pensam que são tipo um megazord de estados. Unidos num objetivo comum: a humilhação mundial. Tinha que montar um megazord Estados Unidos da Terra para transformar o estadunidos no oitavo mar na base da paulada. estadunidos é estadunidos porque não pode ser separado. Tá na constituição. Não concedemos ao leitor permissão para tentar reprimir a liberdade de expressão sacolista.

As coisas que o Estado arromba são todas femininas:
Democracia
Liberdade
Justiça
Igualdade
Educação
Cultura
Saúde
Assistência social
Previdência
Seguridade social como um todo
Economia
Universidade
Escola
Habitação
Terra
Fauna
Flora

Voltando ao assunto dos estados, sejam eles grossos ou não, vamos refletir sobre a lista de territórios extintos da Terra. No fim serão todos. Eu já sou um território extinto. Mentalmente. Apenas uma sacola de plástico.

A Terra tem uma face. Estamos atrás da orelha e somos biodesagradáveis. Somos aquela pinta que sai e a gente acha que é cravo e vai espremer e só se machuca. Belisca o coro e sai sangue transparente. Somos tipo a secreção que se acumula em volta dos pelos encravados. Supostamente é um escudo de proteção, mas só faz estragar o rolê inteiro.

Somos secreção e o pelo encravado.

Somos, também, a cicatriz que fica depois da retirada do pelo.

Ass: Messalina, Ruth, Salomé. Girl Group brasileira

Sobre Sacolão Incorporações 6 artigos
muito pós-moderna da nossa parte.

Seja o primeiro a comentar

Comente!