Como ajudar meu amigo que sofre bullying?

Falar sobre bullying se tornou cada vez mais necessário com o passar do tempo, principalmente pelo comportamento que se tinha há um tempo. Além disso, as consequências de tais atos também foram fundamentais para que tal tema fosse campo de debate.

Muitos especialistas já apontavam que o crescimento de casos como suicídio e depressão partiam justamente da prática do bullying, e sendo o espaço escolar o local onde mais se observa essa ação.

Entendendo que sofrer bullying é algo muito grave, é muito importante que você possa estar pronto para tomar uma atitude. No entanto, quando é feito com um amigo nosso o caso muda de figura.

Primeiramente a gente não sabe se configura de fato o bullying e como ele pode reagir. Por isso vamos dar algumas dicas de como você pode ajudar um amigo a superar esse momento crítico.

O que é bullying

Para começar, é preciso entender o que é o bullying. O termo veio do inglês, uma variação de bull, que neste contexto é relativo a valentão. Foi lá que nasceu o termo e também toda a preocupação com as consequências.

De uma maneira geral a prática do bullying ocorre por ridicularizações constantes ou brincadeiras que constrangem a vítima. Em casos mais extremos, é possível que os casos passem para a violência física.

A maior dificuldade em torno de reagir é que justamente por conta da coação, muitos adolescentes se calam, por medo de atitudes piores. Tal comportamento pode ter um desfecho trágico, e é justamente o que preocupa.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), já considera como sendo um risco para a vida, já que pode desenvolver até quadros depressivos profundos em vítimas do bullying que não recebem a devida ajuda.

Como identificar o bullying

Conforme já foi dito, o bullying pode ser uma simples brincadeira para alguns, mas que gera muito sofrimento para outras. A principal dica para você conseguir ajudar uma pessoa, é saber dela se aquela ação está lhe incomodando.

É natural que em um primeiro momento exista uma resistência para falar sobre o que está acontecendo, mas mantenha o foco e insista um pouco até que a pessoa possa dizer se de fato está se sentindo bem ou não com as brincadeiras, ou se está havendo algum tipo de agressão.

Tendo avaliado esse ponto você precisa prontamente tomar algumas atitudes que possam ajudar essa pessoa, para que ela possa retomar sua rotina, já que muitos deixam de ir ao colégio, inclusive.

Melhores formas de ajudar

A principal dica é procurar por um responsável que possa dar os encaminhamentos necessários, seja a direção da escola ou até os pais da vítima, para que isso se resolva da melhor maneira.

O importante é lembrar que o enfrentamento direto com o agressor não é indicado, pois isso pode agravar ainda mais os ataques, e a vítima pode ser a maior atingida. Conversar com um adulto é o que vai garantir a possibilidade de todos se entenderem e o bullying seja interrompido.

Sobre Vinícius Santos 9 artigos
Psicólogo clínico (CRP-03/18027) e redator escreve no Tribuna Universitária sobre dicas de comportamento e saúde mental

1 Comentário

Comente!