Diretor polêmico do ENEM cai e vai assessorar Educação Superior

Murilo Ferreira ex-diretor do ENEM (reprodução/youtube)

Murilo Resende Ferreira, foi exonerado da Diretoria de Educação Básica do INEP e nomeado assessor da Secretaria de Educação Superior.

A imprensa oficial anda agitada! O motivo? Edições extras do diário oficial publicadas devido as mudanças que o governo Bolsonaro promove em relação às suas próprias decisões. Três edições foram necessárias para acertar a posição do “olavista” que fora nomeado para coordenar o ENEM.

Murilo Resende Ferreira foi nomeado, no dia 16/01 Diretor de Educação Básica do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais. No dia 17/01, foi exonerado da DAEB. E no dia 18/01, foi novamente nomeado, dessa vez assessor da Secretaria de Educação Superior. No primeiro cargo ocuparia um DAS 5 no escalão estratégico do órgão. No cargo atual, ocupará uma DAS 4, considerado do nível tático, ou seja, abaixo do primeiro.

Acusado de plágio

Ferreira foi acusado de plágio por atribuir a si a autoria do artigo “A Escola de Frankfurt: satanismo, feiúra e revolução“, publicado no site Estudos Nacionais em 2018.

O texto parecia ser apenas uma tradução do texto “The New Dark Ages: The Frankfurt School and ‘Political Correcteness“, escrito por Michael Minnicino na revista Fidelio, do Schiller Institute, em 1992. Ele se defendeu nas redes dizendo que se tratava de uma tradução adaptada.

Discípulo de Olavo de Carvalho

Autodeclarado aluno de Olavo de Carvalho, Ferreira diz que os ensinamentos do filósofo foram definitivos em seu “amadurecimento intelectual”.

É contra o que chama de “doutrinação ideológica” e a favor do que ficou conhecido como “Escola sem Partido”. Projeto de lei que, em tese, pretende resguardar os estudantes de suposta doutrinação. Em audiência pública no Ministério Público de Goiás, chamou professores de “manipuladores” e os acusou de “não querer estudar de verdade”.

Leia mais sobre a equipe do MEC

Seja o primeiro a comentar

Comente!