Dunkirk: um deleite de fotografia

Por João Rio/Farofa Marciana

Christopher Nolan, 48, já é um diretor consagrado, e após ter dirigido Inception e Interestelar, seu décimo filme chegou aos cinemas no dia 27 de julho de 2017. Dunkirk conta a história real da evacuação de mais de 400 mil soldados franceses, ingleses e belgas da cidade de Dunquererque no canal da mancha ao norte da França.

Fotografia e sonorização

O filme é um deleite de fotografia! Sequências muito bem gravadas e uma paleta de cores fria e com tons  “verdes cianos” que me remeteram a cadáveres. A sonorização do filme também é muito boa. Se você puder assistir o filme em IMAX, terá uma experiência muito diferente. O som de tiros, dos aviões, dos barcos e de tudo que você consiga pensar é muito real em Dunkirk.

Trilha Sonora

Perante a trilha sonora, esse talvez seja um dos melhores trabalhos de Hanz Zimmer, 61. Issmo, mesmo depois de seu excepcional trabalho em Inception e Interestelar. Sucinta, ela causa uma sensação de terror e incerteza constante durante o filme.

dunkirk_1
cena do filme

Roteiro

Mas, dessa vez Christopher Nolan não teve seu irmão Jonathan Nolan, 42, para “ajudá-lo” com o roteiro. Talvez seja por isso que o filme tenha me parecido um tanto quanto superficial em alguns aspectos narrativos. Se não fosse pela fascinante experiencia que tive com o longa em IMAX, ele não me pareceria tão real.

Tenho visto muitas pessoas reclamarem do fato de que o filme não tem um protagonista e muito menos personagens marcantes, mas na verdade eu vejo que o real protagonista do filme é a guerra, e o quão cruel ela pode ser. Nolan usa muito bem esse fatídico episódio, para expor o horror da história da humanidade e para mostrar o  quão solidários podemos ser uns com os outros, embora isso seja muito subjetivo no filme.

Seja o primeiro a comentar

Comente!