Mulheres são maioria no ensino superior, mas homens ainda ocupam carreiras mais prestigiadas

Pesquisa realizada pelo Núcleo Interdisciplinar de Estudos sobre Desigualdade do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NIED/IFCS/UFRJ) constatou com as mulheres tem mais anos de estudo e maior presença em níveis de estudos mais avançados, porém ainda estão em desvantagem em relação a remuneração e status profissional.

A pesquisa “Azul ou rosa? A segregação de gênero das escolhas educacionais no ensino superior brasileiro, 2002-2016” realizada pelo NIED/UFRJ concluiu que a causa desse fenômeno é a segregação ocupacional, ou seja, essa desigualdade ocorre porque homens e mulheres trabalham em ocupações diferentes e as ocupações em que os homens são maioria são melhor remuneradas do que aquelas em que as mulheres têm maior representação.

Os pesquisadores e as pesquisadoras da UFRJ compararam seus resultados com outras pesquisas e perceberam que embora tenha havido uma inversão na representação geral de gênero no ensino superior desde 1970, ainda há significativa concentração de mulheres em determinadas áreas, como grupos de cursos principalmente ligados ao cuidado, e pouca representação em outras, como áreas técnicas. Os dados mostram que houve uma intensificação dessa diferença e que no Brasil se repetem os padrões identificados em outros países.

“Mulheres e homens costumam escolher, sistematicamente, cursos de ensino superior diferentes.  Esses cursos alimentam carreiras com resultados muito distintos no mercado de trabalho, os cursos majoritariamente femininos, em média, levam a carreiras com menor retorno salarial e de status”

A chave de explicação desses padrões está nas referências culturais que influenciam as escolhas de cursos e carreiras dos jovens. As mulheres tendem a escolher cursos e carreiras ligadas à humanidades e ao cuidado, enquanto os homens, tendem para carreiras científicas e técnicas.

O estudo foi resumido no site da revista Dados, onde é possível encontrar mais detalhes.

Seja o primeiro a comentar

Comente!