O fetiche do método: neotecnicismo via youtube

Por Rafael Pereira

Circulam nas redes sociais nomes que serão indicados para compor o novo secretariado nacional responsável pelas políticas educacionais coordenadas pelo MEC. Carlos Nadalin é o nome cotado para assumir o cargo de Secretário Nacional de Alfabetização, uma secretaria nova que não existe na atual estrutura do MEC de forma independente, sendo o tema a alfabetização vinculado à Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), que será extinta.

Quando um governo recém eleito toma posse é normal que se façam reformas administrativas e que novos dirigentes assumam funções, sendo essa reforma e nomeações os primeiros indicadores de como será a gestão do ministério e dos programas que ele tem sob sua responsabilidade. Por isso, ao se especular nomes e alterações estruturais, os educadores, intelectuais, políticos e profissionais da área, buscam analisar e refletir sobre as novidades, antecipando problemas, oportunidades, desafios, fazendo críticas e até protestando, afinal, estamos em uma sociedade proto-democrática, ainda!

É daí que vem a motivação desse pequeno texto: saber quem é Calos Nadalim e lançar algumas reflexões inciais sobre sua indicação, às quais não tem nenhuma pretensão de esgotar o assunto ou mesmo de aprofundar, apenas de apresentar pistas para posterior aprofundamento e eventual debate. Em outro momento faremos o mesmo com os demais Secretários Nacionais do MEC.

Carlos Nadalim youtuber e blogueiro?

As primeiras informações que a internet oferece sobre Carlos Francisco de Paula Nadalim é que ele é um youtuber. Porém, uma leitura rápida do conteúdo que o oráculo do ciberespaço nos apresenta após 0,32 segundos, percebe-se que ele é, na verdade, um blogueiro.

Seu canal e blog chamam-se “como educar seu filho” e nele Carlos dá dicas de como os pais podem alfabetizar seus filhos em casa. Abaixo apresento uma lista com 6 títulos, dos últimos 3 artigos do blog (na data de publicação do texto) e 3 vídeos mais famosos apresentados na página inicial do canal, respectivamente:

  • Pai, leia para seus filhos [blog];
  • exercícios rítmicos para crianças de 3 a 5 anos[blog];
  • 9 coisas que todo pai precisa saber sobre leitura [blog];
  • 5 dicas para pais com filhos desobedientes [canal];
  • 8 sinais de que você está distante dos seus filhos
    [canal] ;
  • o jeito certo de ensinar letras
    [canal]

Observem que é um canal e um blog de conteúdo receituário, ou seja, apresenta receitas, dicas para pais, incrementarem a educação de seus filhos em casa. Certo? ERRADO! Nadalim é defensor e proselitista da homeschooling, idéia que defende a não obrigatoriedade de levar os filhos para a escola e poder educá-los em casa, o que é proibido hoje no Brasil, pois a frequência escolar é obrigatória a partir dos 4 anos de idade. Antes da emenda constitucional 59, de 2009, a obrigatoriedade era a partir dos 6 anos.

Esse tema é complexo e tema para outro texto, cabe apenas destacar que a obrigatoriedade de frequência escolar parte do princípio da educação como direito da criança, não só de acesso ao conhecimento, mas também de socialização, não podendo, nem os pais nem o Estado negar. E é nas escolas, na forma da lei, que se tem acesso ao conhecimento científico, elaborado e validado pela humanidade até hoje e também se tem experiências de socialização muito importantes para o desenvolvimento infantil e juvenil. O sistema de homeschooling negaria esses direitos, que repito, são das crianças, e ninguém pode negá-los.

Carlos Nadalim no Lattes

Uma busca um pouco mais apurada pode trazer mais informações sobre o futuro possível Secretário Nacional de Alfabetização [desculpem o tom de incenrteza, mas como não saiu ainda no, TOU, Twitter Oficial da União, não podemos garantir]. Encontramos seu Currículo Lattes, que traz sua formação acadêmica, suas áreas de atuação profissional e de pesquisa, além de produção considerada série, no entanto, esse currículo foi atualizado pela última vez em 30/01/2011.

Graduado em Direito, especializado em História da Arte e e filosofia moderna, defendeu sua dissertação de mestrado em 2010 com o título:
“Por uma Propedêutica Poética no Ensino de Filosofia para Crianças e Jovens”. Profissionalmente, atuou como docente do curso de filosofia na educação superior e ensino médio e professor de música na educação básica. Sua produção acadêmica se dá em torno da relação pedagogia/educação e cinema e alguma coisa em filosofia e filosofia da educação

Ao que tudo indica, Nadalim iniciou e consolidou-se na área da alfabetização e da gestão de políticas públicas após 2011, porém, não há registros na primeira página do oráculo após 0,32 segundos de busca.

Carlos Nadalim por ele mesmo

Pai de Francesco e Teresa e marido de Bárbara, Carlos Nadalim é também coordenador pedagógico na escola Mundo do Balão Mágico, em Londrina, cidade onde mora. Desde 2013 mantém o blog “Como Educar seus Filhos”, em que publica vídeos, entrevistas e artigos com dicas para os pais sobre educação infantil, especialmente no tocante à alfabetização domiciliar. Já ensinou, pela internet, 1630 pais e mães a alfabetizarem seus filhos em casa, por meio do curso “Ensine seus Filhos a Ler – Pré-alfabetização” .

fonte: página do autor em seu blog

Com um pouco mais de paciência pode-se navegar pelo blog e pelo canal e perceber que, além de “dicas de ouro” sobre o que funciona e sobre o que não funciona, como ele mesmo diz, o leitor encontra oferta de cursos pagos que podem ser adquiridos no blogue, entrevista com Olavo de Carvalho, Padres e outros conteúdos católicos.

O que essa indicação representa?

A mera cogitação de indicação de Carlos Nadalim para chefiar uma secretaria nacional do ministério da educação revela a visão do atual governo sobre a educação e sobre a gestão da política pública, assim como sua vinculação ideológica ao Olavo de Carvalho e seu ideário. Representa, dentre outra coisas, uma educação atrelada à religião católica, não de forma institucional, mas de forma ativista e, uma homenagem ao anti-intelectualismo, anti-conhecimento e anti-ciência, como se tudo que foi produzido até hoje pela humanidade fosse obra de comunistas a serviço da destruição da família.

A ideia de que alguém que dá “dicas de ouro” na internet sobre alfabetização pode, por isso, chefiar uma secretaria nacional responsável por uma política séria que deve atuar para resolver uma das principais chagas da educação nacional é um absurdo. Não se trata somente de compreender errado o papel de um cargo desse nível na administração pública, mas também de compreender que o problema do analfabetismo funcional no país se resolve com a definição do melhor método de alfabetizar e a garantia da sua aplicabilidade. Pode-se deduzir que o Carlos Nadalim vai ensinar todos os professores do país a alfabetizar “do jeito certo” e vai condenar o que não funciona, como faz no seu blog, ou ainda, vai ensinar todos os pais através da TV MEC a alfabetizar em casa?

Considerações finais

Eu acho interessante o que ele faz na internet, deve ser muito bom para os pais que levam a sério. Participar ativamente da educação dos filhos ajuda muito a motivar a criança a aprender e a motivação está no centro do sucesso da aprendizagem. Também é bom para professores que procuram dicas práticas, sobretudo os iniciantes. Porém não se pode desconsiderar as condições sociais e econômicas das crianças e dos pais, pois essas condições são as determinantes e não os métodos!

Sobre Rafael Pereira 15 artigos
Doutor em Educação na UFPR. Mestre em Métodos e Avaliação (UFSC). Pedagogo (Unicamp). Editor da seção "Opinião" do Tribuna Universitária. Editor da Enunciado Publicações e autor do blogue Lendo o Mundo.

2 Comentários

  1. Discordo que a criança tenha que ter seu aprendizado em casa. Porém sabemos que os governos não ofereceram condições de colocar nossos filhos em colégios públicos. Quem tem o mínimo de condições e com muito sacrifício colocam em colégios particulares os que nso tem ficam em fila de espera e/ou ficam sem creches e sem condições de estarem numa sala de aula. Acompanho o Blog dele e até acho intetessante. Não vamos aqui ser ipocritas em dizer que todas as crianças estão em sala de aulas que sabemos que não pois os governantes não oferecem essa condição. Eu sou uma prova viva desse fato com meus filhos e agora com meus netos. Não estou aqui defendendo o método mas essa falta de condição de nossos filhos terem uma escola pública e digna de um bom aprendizado ja vem de governos anteriores.

  2. Simples, basta olhar o resultado da política de alfabetização das últimas décadas para constatar que algo precisa ser mudado.
    Anti-ciência? Patético…

3 Trackbacks / Pingbacks

  1. Discípulo de Veléz assumirá Secretaria Profissional e Tecnológica -
  2. Mais jovem dirigente assume Secretaria de Modalidades Especiais da Educação -
  3. É grande a influência dos militares no MEC -

Comente!